Pesquisa aponta que 90% dos usuários das Redes Sociais são contrários ao Estatuto do Desarmamento

Mais de 90% dos usuários das Redes Sociais são contra o Estatuto do Desarmamento, aprovado 2003, é o que aponta pesquisa realizada pelo site Debate Digital.

A enquete ficou disponível entre os dias três à 24 de março de 2016 e aponta que a grande maioria dos usuários das Redes Sociais acreditam que o fim do Estatuto do Desarmamento é a melhor opção.

Ao todo foram 3.666 votos. Do total, 91,8% querem o fim do Estatuto, contra 8,2% que se disseram favoráveis ao Estatuto. 1 participante ainda se declarou indiferente, não alcançando, no entanto, 1% dos votos.

Votação total:

pesq_circ_total2 desarmamento_barra3

Entre os votantes, 2.660 votos, ou 72,6% são do sexo masculino e 178 ou 4,9% são do sexo feminino. 828, ou 22,6% dos participantes não estavam logados em alguma rede social para a coleta dos dados sociais.

No final de 2015 foi aprovado na câmara de deputados os projetos de lei (PL 3722/12 e apensados) que revogam o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03).

O regramento trata-se do Estatuto de Controle de Armas, substitutivo ao Estatuto do Desarmamento em vigor desde 2003.

Com a aprovação, foi suprimida a parte que impedia a prisão em flagrante por porte ilegal ou disparo de arma de fogo se a arma fosse registrada e houvesse evidências do seu uso em situação de legítima defesa.Por outro lado, continua podendo ser lavrada a prisão por porte ilegal de arma de fogo, mesmo em caso de defesa, e, entre outras mudanças, reduz para 21 a idade mínima para a compra de armas e retira impedimentos para que pessoas que respondam a inquérito policial ou a processo criminal possam comprar ou portar arma de fogo, entre outras alterações.

O substitutivo aprovado pela comissão especial segue para a análise do Plenário da Câmara dos Deputados.